REVIFÉ é revivendo com fé!


Deixe um comentário

Prêmio Transformando o Meu Quadrado


Na noite da última quinta-feira (7/12/17), recebi o prêmio “Transformando o Meu Quadrado”, oferecido pela primeira-dama da cidade do Rio de Janeiro, Sylvia Jane Crivella, pela contribuição com o município durante o ano 2017.

O prêmio “Transformando o Meu Quadrado” foi criado com a finalidade de homenagear aqueles que colaboram para melhorar a vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social e de instituições filantrópicas.

“É um orgulho poder contar com tantas pessoas do bem. Isso só nos motiva a trabalhar ainda mais para ajudar os mais necessitados”, afirmou a primeira-dama. Continuar lendo

Anúncios


Deixe um comentário

Quarta Ação e Doação no Hospital Mário Kroeff


Quem ama doa!
Precisamos de doações para nossa Quarta Ação e Doação no Hospital Mário Kroeff QUE ACONTECERÁ NO DIA 20 DE DEZEMBRO!
Material de higiene pessoal -Sabonete, saboneteira, creme dental, escova de dente, creme hidratante, desodorante, toalhinha de mão e também Panetone, bombons, frutas cristalizadas, passas, nozes…
Você pode doar algum item da lista ou depositar sua oferta na conta do REVIFÉ
Associação Evangélica Revifé
Banco Bradesco 
Ag 3443 Cc 5186.1

Deus o(a) abençoe rica e abundantemente!
Pra Sandra de Andrade​


Deixe um comentário

Robert Koch


kochNascido em 11 de dezembro de 1843, na cidade de Clausthal, Alemanha, Heinrich Hermann Robert Koch foi um dos fundadores da microbiologia e dos estudos relacionados à epidemiologia das doenças transmissíveis.

Sua trajetória profissional iniciou-se em 1862, aos 19 anos, quando estudou medicina na Universidade de Göttinen. Depois de colar grau como médico em 1866, Koch foi para Berlim estudar química. Neste mesmo ano, Koch casou-se com Emmy Fraats, mãe de sua única filha, Gerttrud. Continuar lendo


Deixe um comentário

Precisamos dos “Outros”!


“Você sabia que…?

Seu NASCIMENTO foi através de Outros;

Seus primeiros BANHOS foram dados por Outros;

Seu NOME foi dado por Outros;

Você foi EDUCADO por Outros; Continuar lendo


Deixe um comentário

Uma em cada quatro pessoas admite que não se protege do sol


Chega o fim do ano, todo mundo pensa logo em aproveitar o verão e conquistar uma cor mais saudável. Mas a exposição ao sol pode colocar a saúde em risco, e é preciso pensar em cuidado e proteção.

Dezembro é, também, um mês para alertar sobre a importância da prevenção – assim como o Outubro Rosa (do câncer de mama) e o Novembro Azul (de próstata). Neste mês, a cor adotada é o laranja, e o alvo da campanha, o câncer de pele. No ano passado, 176 mil novos casos da doença foram registrados no país.

O trabalho de conscientização sobre o câncer de pele já é feito há quase 20 anos no Brasil. Mesmo assim, uma em cada quatro pessoas admite que poderia se proteger melhor do sol, mas não o faz. Entre os jovens (de 18 a 29 anos), essa taxa é de um em cada três.

O levantamento “Panorama sobre Conhecimento, Hábitos e Estilo de Vida dos Brasileiros em relação ao Câncer”, feito pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (Sboc), indicou que esse tipo de tumor é um dos mais conhecidos pelos brasileiros, sendo citado por 89% deles. A maioria dos entrevistados (83%) também reconhecia que a causa direta do câncer de pele está relacionada à exposição ao sol.

Mas um dado preocupante é que 6% da população demonstra forte resistência para adotar hábitos preventivos. Entre pernambucanos, capixabas, catarinenses e rondonienses, a rejeição atinge 10%.

A engenheira química Rosa de Lima, 55, nascida e criada em Recife, não costumava usar protetor solar no dia a dia nem para ir à praia. Até ter o diagnóstico de um carcinoma em uma pinta no ombro. Trata-se de um tipo menos agressivo de câncer de pele, mas que, se não for descoberto cedo, pode ter complicações severas.

“Retirei o sinal (como recifenses chamam a pinta) com cirurgia e, depois disso, passei a usar blusa de manga e protetor solar. Hoje falo para todo mundo se proteger e mostro a cicatriz”, contou Rosa.

Trabalhadores. Com a mensagem: “Se exponha, mas não se queime”, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) enfatiza na campanha a importância de adotar hábitos cotidianos para a prevenção. Um dos focos de conscientização é o trabalhador que se expõe ao sol diariamente.

“Quem tem histórico de exposição crônica, trabalhando sempre exposto ao sol, vai ter um risco maior de câncer de pele no futuro. É um dano acumulativo ao longo dos anos, que vai fazer diferença quando a pessoa chega aos 50 anos”, explica a dermatologista Michele Diniz, coordenadora da campanha em Minas Gerais.

O sol faz parte da vida de Nilton Oliveira, 53, mensageiro do Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços em Asseio e outras categorias de Belo Horizonte, o Sindeac. Há 30 anos, ele vive em cima de uma moto ou de um cavalo – quando era policial militar – e debaixo dos raios solares.

“Passo protetor às vezes, tenho a pele negra, acredito que corro menos risco”, confessa Oliveira. Sim, as pessoas mais claras são mais propensas a desenvolver câncer, mas todos precisam de proteção, alertam os especialistas.

Oliveira sabe e destaca que o sindicato orienta os trabalhadores, principalmente os garis, que estão mais expostos, a usar filtro solar e equipamentos de proteção.

A dermatologista destaca que os casos estão aumentando, consequência da cultura antiga de não prevenir, que agora mostra seus efeitos. “Hoje em dia, as pessoas estão mais conscientes. O bronzeado não é mais sinônimo de uma pessoa saudável”, afirma Michele.

Mutirão. Nas campanhas preventivas da SBD, desde 1999, foram atendidas 500 mil pessoas no Brasil, cerca de 30 mil por ano, e detectados 40 mil casos de câncer de pele. Saiba mais em sbdmg.org.br.

Números. Cerca de 70% dos cânceres de pele são carcinomas basocelular, menos agressivos, tratados com cirurgia. Mas, cerca de 5% são melanomas, forma mais grave – 1.547 pessoas morreram em 2016 com esse mal.

 


Deixe um comentário

Câncer de pele


 

Câncer de pele: causas, sintomas e tratamentos

O que é?

O câncer de pele é extremamente prevalente na população, com registro de 135 mil novos casos a cada ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA) e representa 25% de todos os tipos de câncer.

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele.

A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento de tumores cutâneos e a maioria dos casos está associada à exposição excessiva ao sol ou ao uso de câmaras de bronzeamento. História familiar para câncer de pele e alto número de pintas no corpo também são fatores de risco.

Os tipos mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele. Continuar lendo


Deixe um comentário

Diabetes e sobrepeso estão relacionados a mais de 790 mil casos de câncer, diz estudo


Estudo com prontuários de pacientes em 2012 mostrou que condições combinadas responderam a cerca de 6% dos casos de câncer naquele ano. Índice é maior a depender do tumor.

Estar acima do peso pode aumentar a chance de desenvolver câncer. Mulheres são duas vezes mais afetadas que homens (Foto: Reprodução/GloboNews)

Um estudo que analisou prontuários de pacientes com câncer demonstra que 792.600 casos da doença estiveram relacionados aos efeitos combinados da diabetes e um alto IMC (Índice de Massa Corporal) — o que corresponde a 6% dos casos analisados.

Em alguns tipos de câncer, o peso das duas condições é maior: os dois fatores de risco foram responsáveis por 38,4% dos casos de câncer de endométrio e 24,5% dos casos de câncer de fígado.

Continuar lendo


Deixe um comentário

A autoestima da mulher! Você sabe o que é isso?


A autoestima é a capacidade que uma pessoa tem de confiar em si própria, de se sentir capaz de poder enfrentar os desafios da vida, é saber expressar de forma adequada para si e para os outros as próprias necessidades e desejos, é ter amor próprio. Em suma, é saber que você tem o direito e merece mesmo ser feliz!

• E para ser feliz, sua autoestima deve estar num bom nível, quanto maior, melhor!

• A baixa autoestima gera ansiedade, medo, depressão, fobias… Enfim, uma série de outros problemas! Continuar lendo