REVIFÉ é revivendo com fé!

Quem somos

Revifé – Revivendo com fé – é a Associação Evangélica Revifé.
CNPJ 02.945.834/0001-03
Uma associação civil e sem fins lucrativos que visa dar apoio a mulheres mastectomizadas e aos demais portadores de câncer e promover campanhas de prevenção aos diversos tipos de câncer e DST’S fundada em 19 de novembro de 1998.

O Revifé surgiu devido a uma mulher com uma história. Sua história com o câncer começou aos 10 anos quando sua tia, Helena Soares, faleceu com câncer. Helena era membro da Igreja de Nova Vida em Bonsucesso, mulher temente a Deus e mesmo lutando contra o câncer, sofrendo, chorando, conseguia reservar um tempo de seu dia para abençoar vidas, visitando, levando mantimentos, levando uma palavra de amor e paz. Sua sobrinha acompanhava de perto, tão de perto, que subia morros cariocas levando donativos aos mais necessitados. Helena faleceu em 04 de abril de 1968, mas deixou na memória dos seus que quem a matou não foi o câncer, mas era o momento dela estar com o Pai.

Em 1980 aquela mesma menina de 10 anos casou-se e um ano depois teve sua primeira filha e cinco anos mais tarde a segunda.

Converteu-se ao Senhor Jesus Cristo em 23 de novembro de 1982.

Com uma vida ativa dentro e fora da igreja e com percalços devido a problemas familiares (seu irmão sofrera um acidente de carro e estava acamado) em 1995 recebeu a notícia que estava com câncer de mama.

Em 19 de novembro de 1995, foi submetida a uma mastectomia radical da mama direita devido a um carcinoma lobular infiltrante. Nesta época, por ser convertida, já usufruía a paz que excede a todo entendimento e da certeza da vida eterna através do sacrifício de Jesus Cristo na Cruz. Com esta fé, que é Dom de Deus, foi possível crer como Paulo escreveu em Filipenses 1:6. “Estou plenamente certo de que aquele que começou a obra em vós há de completá-la até o dia de Jesus Cristo”.

Havia uma obra a ser realizada em sua vida e Aquele que começou esta boa obra era e é fiel para completá-la. Amém!

Mesmo durante as três cirurgias e o tratamento com quimioterapia, a que foi submetida, até março de 1996, em nenhum momento se sentia como uma mulher infeliz ou mutilada, ao contrário, entendeu ser privilegiada por ter sido escolhida para levar em seu corpo uma cicatriz que demonstra a soberania de Cristo sobre a sua vida, não existindo sentença de morte, mas sim de vida e vida em abundância em Cristo Jesus.

Essa mulher chama-se Sandra de Andrade conheça sua história pós o câncer clicando aqui.

Anúncios