REVIFÉ é revivendo com fé!

Governo Federal irá investir R$4,5 bilhões na prevenção de câncer de mama e colo do útero

Deixe um comentário

Jornal de Pomerode

Governo Federal irá investir R$4,5 bilhões na prevenção de câncer de mama e colo do útero

Governo Federal irá investir R$4,5 bilhões na prevenção de câncer de mama e colo do útero / Foto: N/A

O câncer de mama é a principal causa de morte da população feminina brasileira.

Conforme dados de 2008, do Sistema Nacional de Informação sobre Mortalidade, 11.813 mulher morreram em decorrência desse tipo de tumor. Já o câncer de colo do útero causou a morte de 4.873 mulheres.
“O câncer é curável se a gente previne e detecta no início. Eu sou uma beneficiária da prevenção: tive câncer, descobri no começo e me curei”, essas foram as palavras da presidenta Dilma Rousseff, na solenidade que aconteceu terça-feira (22/04), em Manaus. Na cerimônia, Dilma e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciaram que, nos próximos quatro anos, serão feitas ações de fortalecimento da rede de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e do câncer de colo de útero. O investimento será de R$ 4,5 bilhões.
Já este ano, o Ministério da Saúde irá destinar R$ 261,679 milhões em ações de prevenção destas doenças. Os dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta que o Brasil , em 2011, terá aproximadamente 18,5 mil novos casos de câncer de colo do útero e 49,2 mil de câncer de mama.
Se apresentam grande potencial de sobrevida e, até mesmo, de cura. Assim, a meta do Ministério da Saúde é ampliar, com qualidade, a oferta do rastreamento do câncer de colo do útero, a detecção precoce do câncer de mama e o tratamento dos casos identificados.
Os recursos divulgados pelo governo serão aplicados no fortalecimento da atenção primária e da rede ambulatorial e hospitalar do Sistema Único de Saúde (SUS) e em campanhas de informação e conscientização à sociedade. “Com o plano, vamos garantir no SUS, na rede pública de saúde, serviços de qualidade para o atendimento de todas as mulheres”, afirmou o ministro Alexandre Padilha.

O câncer de mama
Em todo país são 1.645 mamógrafos de comando simples mantidos pelo SUS. O equipamento é utilizado para a detecção de nódulos. 50,87% estão operando abaixo da capacidade de realização de exames. Os governos federal, estaduais e municipais, irão se unir no objetivo de instalar um grupo de trabalho que defina parâmetros e critérios de avaliação do desempenho destes equipamentos em parceria com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Inca, com o Colégio Brasileiro de Radiologia e das Vigilâncias Sanitárias.
Serão implantados 50 centros para atendimentos em mastologia ou ginecologia, que acelerarão o início do tratamento após a confirmação do diagnóstico, além de serem criados 32 novos serviços avançados em hospitais habilitados para tratamento oncológico e de ser feita a substituição de equipamentos em 48 hospitais.

O câncer de colo do útero
O foco do governo federal é atingir principalmente mulheres entre 25 e 59 anos. O que se pretende é que inicialmente as mulher passem por dois exames anuais. Caso o resultado seja negativo, que seja realizado exame preventivo a cada três anos.
Governo federal pretende incentivar os governos estaduais e municipais disponibilizando apoio técnico e de recursos com o objetivo de garantir acesso ao exame preventivo. Para acelerar o diagnóstico e diminuir a espera até o início do tratamento, a rede especializada em oncologia será ampliada com o credenciamento de mais hospitais ao SUS. Será intensifica a capacitação de profissionais da área, por meio da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UnaSus) e da criação, até o ano que vem, de 20 centros de treinamento de ginecologistas.

Descoberta importante: como o câncer cria resistência ao tratamento
Um passo importante no tratamento de câncer foi dado depois de uma descoberta feita pela Universidade do Estado da Louisiana, nos Estados Unidos. Os cientistas desvendaram como a doença cria resistência à quimioterapia e à radioterapia.
Conforme a pesquisa, eles descobriram que a redução da produção de uma proteína específica, chamada BIN1, altera o processo de reparo de DNA e, portanto, o desenvolvimento do tumor. “Nosso estudo providencia um mecanismo forte e inédito pelo qual o câncer adquire resistência ao dano no DNA”, acredita Daitoku Sakamuro, professor que liderou a equipe de pesquisadores da universidade.
Para os estudos foi usada a cisplatina, uma droga quimioterápica normalmente aplicada como primeiro combate contra vários tipos de câncer. Os pesquisadores acreditam que além de ser útil para futuros estudos a descoberta pode ajudar na previsão da eficiência que um tratamento pode ter em cada paciente por meio da avaliação dos níveis dessa proteína.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s