REVIFÉ é revivendo com fé!

Baixa auto-estima aumenta sentimentos negativos em relação aos outros

Deixe um comentário

Um novo estudo traz uma afirmação não muito surpreendente: denegrir outras pessoas faz com que você se sinta melhor consigo mesmo. Quando alguém está se sentindo mal, fazer com que outro se sinta pior melhora a auto-estima.

Uma das razões mais antigas do por que as pessoas têm preconceito e criam estereótipos é simplesmente que isso faz com que elas se sintam melhor. Psicólogos têm considerado duas possibilidades para isso: a baixa auto-estima aumenta as avaliações negativas de outros, ou torna as pessoas menos propensas a suprimir os preconceitos que já possuem.

Não há acordo sobre uma das hipóteses. Na nova pesquisa, a conclusão foi de que a auto-estima baixa aumenta a intensidade de preconceitos negativos.

O experimento era feito para deixar os participantes para baixo e, em seguida, observar sua tendência de mostrar preconceito racial. 57 alunos fizeram uma prova muito difícil com 12 questões. Ninguém respondeu a mais de 2 itens corretamente.

Cerca de metade dos participantes recebeu seus resultados (ruins), enquanto os pesquisadores disseram que a pontuação média foi 9 para fazê-los se sentirem mal consigo mesmos. À outra metade foi dito que seus testes seriam corrigidos mais tarde.

Então, todos os participantes completaram um teste para medir seu preconceito racial. Em uma tela, passavam uma série de palavras positivas, palavras negativas e imagens de rostos negros ou brancos.

Primeiro, os participantes tiveram que pressionar a tecla “E” do teclado quando viam um rosto negro ou palavras negativas, e a tecla “I” quando viam rostos brancos ou palavras positivas. Em seguida, os grupos foram invertidos, e os participantes tinham que pressionar uma tecla para rostos negros ou palavras positivas, e outra para rostos brancos ou palavras negativas.

O pensamento era que, se os participantes tivessem sentimentos negativos em relação ao negro, achariam a segunda tarefa mais difícil, e se tinham associações negativas com os brancos, achariam o primeiro teste mais difícil. Isto estaria mais destacado quando as pessoas estivessem se sentindo mal sobre si mesmas.

Como esperado, aqueles que estavam se sentindo mal com suas performances no teste mostraram evidências de preconceito implícito.

Os pesquisadores aplicaram os resultados a um modelo de computador que incluía quatro processos, como o grau em que nossos preconceitos são ativados no cérebro, e se podemos superar tais preconceitos, para descobrir o motivo por que as pessoas agiam assim.

Eles descobriram que pessoas que se sentiram mal consigo mesmas eram mais propensas a mostrar preconceito porque os sentimentos negativos foram ativados com maior intensidade (e não porque se tornaram menos propensas a reprimir sentimentos negativos que já tinham).

A diferença é sutil, mas importante. Se o problema era não conseguir inibir o preconceito, os especialistas poderiam treinar as pessoas para exercer um melhor controle. Já no caso real, a maneira de contornar isso é tentar pensar diferente sobre as outras pessoas. Quando você se sentir mal consigo mesmo, é ideia é que evite fazer com que isso interfira seu julgamento sobre os outros. [LiveScience]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s