LILIAN MARIA DE SOUZA BORGES – 1

A matéria abaixo foi publicada há onze meses e relata a luta de uma guerreira e por descaso das autoridades principalmente do Ministério da Saúde é que hoje temos no Rio de Janeiro um Hospital como o do Fundão que foi construído para dar suporte aos alunos de Medicina da UFRJ como a toda população do Estado e hoje …
abandonado, caindo, sem estrutura técnica ou humana.
Vergonha senhor Ministro da Saúde, Dr José Gomes Temporão.

____________________________________________________________________________________

Hospital do Fundão está com equipamentos quebrados e não consegue atender doentes

Jornal O Dia
POR PÂMELA OLIVEIRA, RIO DE JANEIRO

Rio – Transplantada de fígado em julho(2008) devido a um câncer, Lilian Maria de Souza Borges, 23 anos, foi obrigada a esperar 8 meses por uma cintilografia no Hospital do Fundão — o exame detecta possíveis novos tumores. Neste período, já passou por mais duas cirurgias: perdeu o útero e precisou tirar tumor da coluna. Terça-feira, ela finalmente conseguiu fazer o exame, mas tem outro drama a enfrentar: necessita de radioterapia, e o Fundão suspendeu o tratamento.

Lilian não é a única prejudicada. O hospital, que passou por grave crise e chegou a suspender os transplantes em maio, deixou agora de realizar mamografias, tomografias e ressonâncias, além de interromper incrições de novos pacientes no ambulatório de cuidados paliativos para portadores de câncer incurável.

“Não posso afirmar que se tivesse feito a cintilografia antes eu não teria tido esses tumores. Mas quem sabe eu os teria descoberto antes? As cirurgias poderiam ter sido mais simples”, diz a jovem, que está internada no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, onde operou a coluna. “Duas semanas depois da cirurgia minhas pernas perderam os movimentos. Os médicos estão verificando a causa”, conta.

O diretor do Hospital do Fundão, Alexandre Cardoso, afirma que a unidade está “se recuperando” e que parte dos problemas que culminaram com a crise do ano passado foi solucionada. “As perspectivas são positivas. Vamos recuperar a capacidade instalada”, disse, afirmando que o Fundão, assim como outras unidades universitárias, funciona com recursos insuficientes repassados pelo governo federal.

“Tenho tentado marcar uma mamografia no Fundão, mas não consigo. Disseram que o equipamento está quebrado e sem previsão para voltar a funcionar. Eu sempre fui muito bem atendida aqui. Tenho consulta e estou com medo de não conseguir fazer o exame antes”, conta Célia Gonçalves Freitas, 54 anos. “Há seis meses eu também tento agendar uma ultrassonografia e nunca tem vaga”, afirma.

PROBLEMAS

RESSONÂNCIA
O equipamento tem menos de um ano e não está funcionando devido a defeito numa peça. Deve voltar até o fim da semana.

TOMÓGRAFOS
Há duas máquinas, mas só são usadas para casos mais graves. O sistema de refrigeração do setor está com problemas e, por isso, se os tomógrafos forem usados com capacidade total, ambos quebrarão.

MAMOGRAFIA
O equipamento quebrou e está com o contrato de manutenção atrasado.

RADIOTERAPIA
Está suspensa devido à manutenção de seus equipamentos. Peças importadas devem chegar até meados deste mês. Os pacientes são encaminhados para o Instituto Nacional de Câncer e os hospitais Marcílio Dias e Mário Kröeff.

CUIDADOS PALIATIVOS
O hospital não está cadastrando novos pacientes, pois não tem material.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s