Prefeitura paga por tomografias não realizadas.

Com base nos documentos da própria Secretaria municipal de Saúde, os integrantes da CPI do Hospital de Acari já concluíram que R$ 16 milhões dos R$ 37,8 milhões pagos em 2008 à Gestão Participativa em Saúde (GPS), empresa vencedora da licitação para administrar a unidade, foram perdidos. Esta é a diferença entre os serviços pagos – e o serviços realmente executados. Ou seja, 42,56% do dinheiro que saiu dos cofres públicos foram parar no lixo – ou melhor, na caixa da GPS.

A diferença é replicada pelo parágrafo 3º do 1º termo aditivo ao contrato assinado pela prefeitura. Ele garante que a empresa receba pelo serviço previsto e não pelo executado. O hospital só atende a pacientes enviados pela rede pública. Se as outras unidades não emcaminharem os doentes, não há a quem atender. Mas a empresa recebe mesmo assim, pelo que deveria ter feito – e não fez.

O tomógrafo do hospital ficou quebrado de março ao fim de dezembro de 2008. Mesmo assim, como era prevista a realização de 4.336 tomografias (ao custo de R$366,09 cada), a GPS embolsou a bagatela de R$1.587.336,24 – e sem ter feito os exames! Ao todo, estavam previstoa 805 mil exames de laboratório em 2008, mas 413 mil não foram realizados – e por estes, a prefeitura pagou R$7,9 milhões. Outros R$6,1 milhões foram jogados fora da internação, mais R$1,1 milhão em consultas ambulatoriais, e por aí foi…

Fonte: Jornal EXTRA – Coluna de Berenice Seara


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s